quinta-feira, 22 de julho de 2010

EdUSP lança Um Coração de Cachorro de Bulgakov

Depois do lançamento de O Mestre e Margarida pela Alfaguara, agora é a vez da EdUSP lançar Um Coração de Cachorro e Outras Novelas:

As Aventuras de Tchítchikov, Diabolíada, Os Ovos Fatais e Um Coração de Cachorro são as quatro novelas de Bulgákov incluídas neste volume. Foram traduzidas diretamente do russo por Homero Freitas de Andrade e são acompanhadas, nesta edição, de ensaio que analisa aspectos da prosa satírica do escritor e apresenta uma visão geral do gênero nos primeiros anos da literatura russo-soviética, destacando a contribuição de Bulgákov e de Maiakóvski para a renovação do gênero. Para Bulgákov, a sátira cria-se a si própria, de repente, quando surge um escritor que repara na imperfeição da vida corrente e, indignando-se, inicia seu desmascaramento artístico. A prosa de Bulgákov segue e dialoga com a rica tradição literária russa que o antecedeu, especialmente de Gógol, referência explícita da novela As Aventuras de Tchítchikov, que abre o volume.


de Bulgákov, Mikhail A.

ISBN 10: 85-314-1229-3
ISBN 13: 978-85-314-1229-5
Formato: 16x23 cm
Nº de Páginas: 312 pp.
Peso: 505 g

Eu não poderia estar mais realizado com o lançamento, há duas horas atrás checava o preço da edição da Penguin desse livro. O preço nem parece Edusp, mas que seja, dessa vez se preocuparam com a capa.

5 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa. Sou um apaixonado pela literatura russa. Estarei sempre por aqui para ler e opinar quando necessário.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. César, era sobre esse autor que eu ia comentar no Facebook, mas esqueci do título do livro, era esse "O Mestre e a Margarida"! Uma aluna minha leu e me recomendou, disse que o Diabo é o protagonista. Você já leu?

    ResponderExcluir
  3. "Um Coração de Cachorro" custa 45 reais na Livraria Arte Pau Brasil - www.paubrasil.com.br

    ResponderExcluir
  4. É uma nova voz que se ouve vindo da Rússia. Diferente, ácida, corrosiva e acima de tudo com bom humor. Ele diz em uma carta, uma delas, para ninguém menos que Stálin, que após 289 críticas negativas a respeito de sua obra e apenas 3 favoráveis, ele chegou à conclusão de que sua obra não deveria existir para a União Soviética, e ele estava de acordo com isso. Deixo o meu entusiasmado testemunho da edição, e também um especial abraço para o Homero Freitas de Andrade, pela cativante tradução.

    ResponderExcluir